MENU
< voltar

A protagonista de Tudo pode ser roubado gosta de repetir que não tem grandes ambições e que seu único objetivo de vida é ter dinheiro para comprar o apartamento onde mora. Ela é garçonete em um conhecido restaurante na região da Avenida Paulista e, nas horas vagas, acumula boa parte de suas economias aproveitando encontros fortuitos nas casas de homens e mulheres aleatórios para roubar roupas de grife e objetos de valor.

As mercadorias são posteriormente revendidas para Tiana, proprietária trans de um brechó de luxo e sua única amiga, e quem a ensinou a identificar marcas caras e falsificações. Até que um dia, um desconhecido a procura no restaurante oferecendo uma bolada para roubar um livro. Não um livro qualquer: a primeira edição de O Guarani, de 1857, arrematada em um leilão por um professor universitário que se recusa a vendê-la.

Ao lado de Biel, o picareta profissional que a contrata para o roubo, a protagonista iniciará um difícil plano de sedução, tendo em vista que Cícero, o dono do almejado exemplar, não parece muito disposto a cair em seus braços. Ainda assim, ela inicia um longo conto do vigário para roubar a obra, enquanto sua própria relação com Biel ganha contornos cada vez mais complexos.

Giovana Madalosso, premiada autora de A teta racional, traz à tona em Tudo pode ser roubado um estranho mundo que combina milionários excêntricos, drogas, sexo, opulentos bar mitzvahs e, por baixo disso tudo, um profundo vazio que parece assombrar todos os vultos perdidos que circulam nessa cidade ao mesmo tempo familiar e estranha. Num estilo ferino e carregado de cinismo, Madalosso constrói um retrato das ambições, sonhos e relacionamentos nos dias de hoje.

Leave a Comment!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *